QUINO

QUINO
TODA MAFALDA

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Nacionalismo - Palestina (Joe Sacco) / Fagin - o Judeu (Will Eisner)

por Caio Ferraro  



Não me lembro como ou porque, mas a verdade é que a sequência de aulas sobre Nacionalismo foi elaborada a partir de questionamentos dos alunos. A 1ª aula já foi publicada - Nacionalismo - Dez na área, um na banheira e ninguém no gol (vários autores) - na sequência, falamos da Comuna de Paris e da Olimpíada de 1936 (Alemanha Nazista). Discutimos por muito tempo a possibilidade de concluir a temática falando da Questão Palestina, desde nossa capacidade em articular o assunto, até possíveis problemas com a escola, pais e afins. Como podem ver, levamos a ideia adiante! 



Nossas dificuldades em encontrar material que pudesse contribuir na construção de argumentos pró-Palestina representava um aspecto histórico que continuamente ressaltamos em sala de aula: 
Quem escreve a História?

Resolvemos aplicar uma aula impossível no sistema convencional de ensino. Levamos os alunos até a sala de vídeo (em outra escola ao refeitório), pois precisávamos de espaço para dividir a turma em dois grupos. Cada grupo defenderia uma posição da Questão Palestina, sendo quatro professores coordenando o grupo pró-Israel e quatro professores coordenando o grupo pró-palestina. Durante duas semanas buscamos informações que pudessem subsidiar nossa aula, o que obviamente foi pouco  diante de assunto tão delicado. A seleção dos quadrinhos foi outro momento complicado, pois não encontramos nenhum que abordava teoricamente a temática, muito menos que elencasse os argumentos palestinos. "MAS E O JOE SACCO?", você pergunta. A obra de Joe Sacco nos traz importantes registros históricos, sobretudo dos palestinos, mas não providencia auxílio para aprofundar a altercação.  


Selecionamos então quadrinhos que exprimem os sentimentos de cada nacionalidade, quadrinhos que serviram para aguçar o "nacionalismo" que pretendíamos criar neles no espaço temporal de 1 hora. O primordial no trabalho foi enaltecer um sentimento nacionalista que seria colocado à prova em um debate de 30 minutos na sequência, o que só explicaríamos depois, por enquanto estávamos inflamando cada grupo com suas verdades unilaterais, sem defender qualquer espécie de diálogo com os inimigos da nação.



O desafio era explicar de maneira sucinta um conflito do qual eles nunca ouviram falar (ou nunca deram atenção). Levamos mapas, escrevemos breves resumos históricos ressaltando aspectos interessantes de acordo com o grupo e concentramos a carga nas "nossas razões" para reivindicarmos nosso direito à terra. 

Após 1 hora iniciamos o debate, intermediado por um professor. Nas primeiras falas ficou evidente que os grupos estavam defendendo aquelas nações, até então desconhecidas, como se suas vidas dependessem disso. 


Houve ainda uma pausa, solicitada pelos alunos para que os professores os ajudassem a reorganizar as ideias diante da argumentação da oposição. Quando esgotaram-se todas as possibilidades encerramos o debate. Em 30 minutos, todos (não é uma generalização) se manifestaram e com tamanho ímpeto, que era difícil acreditar que havíamos construído aquele nacionalismo exacerbado em apenas 1 hora. 

Então esclarecemos para eles o objetivo central: incutir neles, em curto espaço de tempo, esse sentimento nacionalista, afinal trabalhamos durante um mês inteiro diversas construções nacionalistas, em diferentes etnias, diferentes regiões e diferentes interesses. O difícil foi trazê-los de volta à realidade, pois ao final da aula ainda discutiam avidamente.  

Caso queira pensar a respeito do assunto e não encontrou o que pretendia, acesse o Blog do Prof Daniel Antonietti - um post deste professor de História sobre o conflito.

A Questão Palestina voltou às manchetes brasileiras com a declaração da presidenta Dilma Roussef na abertura da Assembleia Geral da ONU no dia 21/09/2011. Dilma defendeu o reconhecimento da Palestina como Estado soberano.







2 comentários:

Pimpão disse...

Experiência que eu vou levar comigo pro resto da minha vida enquanto professor!! Aula sensacional!

Anônimo disse...

Obrigado por partilhar esta experiência aqui. Também sou professor e, ao ler este post, pude pensar em atividades para desenvolver com alunos a partir de historias em quadrinhos sobre o tema. Faz pouco tempo que conheci o quadrinho de Joe Sacco sobre a Palestina, mas ainda nao o li. Vou busca-lo. Obrigado. Abraços!

Os Queridinhos!