QUINO

QUINO
TODA MAFALDA

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

A apropriação dos símbolos - Religião e Modernismo

por Caio Ferraro 

*OBS: A revista foi reproduzida na íntegra por se tratar de uma produção independente distribuída gratuitamente. Caso os autores se incomodem com sua veiculação ou considerem inapropriado o post, favor comunicar-nos.














Durante a Flip recolhi do chão um exemplar da revista Via Arte. Comecei a ler e me animei com a simplicidade da HQ para explicar o Modernismo, mas não conclui a leitura imediatamente. Quando o fiz me deparei com um problema recorrente: a apropriação dos símbolos. O autor argumenta que Oswald de Andrade não se referia às religiões quando em seu Manifesto Antropofágico afirma: "Contra todas as catequeses." Para uma interpretação básica do Manifesto clique aqui.

Acho louvável a ideia de "discutir a arte enquanto possibilidade de reflexão e necessidade humana." Entretanto não vejo como os instrumentos bíblicos podem ser instrumento regulador desta atividade. No texto DEVORANDO A RELIGIÃO o autor explica o "apetite crítico de Oswald contra a religião" para em seguida traçar um paralelo com passagens bíblicas justificando um princípio contraditório ao manifesto. Não cabe aqui elencar os méritos da argumentação, pois a apropriação dos símbolos ficou a cargo dos quadrinhos.

Não se pode utilizar uma história em quadrinhos didática sobre Modernismo para propagar valores religiosos. "Tem questões culturais que não precisam ser mudadas. Outras não cabem na ótica Deus nem no conceito humano. Comer gente é uma delas. Acho um insulto a Deus e ao próximo." Utilizar a ótica modernista para enaltecer a religião que a própria contesta é tão absurdo quanto julgar culturas antropófagas   pela ótica de um Deus que pra elas tão pouco existe. Este ato é exatamente o que o Manifesto Antropofágico define como "Inquisições exteriores". 

Campanha de associação ateísta - impor a cristandade aos índios  exemplifica esse princípio.
   

"O espírito recusa-se a conceber o espírito sem o corpo. O antropomorfismo. Necessidade da vacina antropofágica. Para o equilíbrio contra as religiões de meridiano. E as inquisições exteriores." Oswald de Andrade

Nenhum comentário:

Os Queridinhos!